sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Vegetarianos têm mais disposição para o sexo, aponta estudo

Pesquisadores descobriram que a dieta é capaz de estimular hormônios importantes para o sexo


Depois de responderem uma série de perguntas e enfrentarem frequentes piadas, um novo estudo mostra que é a vez dos vegetarianos rirem por último quando se trata da relação entre a alimentação e a vida sexual.

Uma pesquisa, publicada no periódico Hormones and Behaviour e divulgada no jornal britânico The Daily Mail, mostrou que o consumo de tofu e outros alimentos à base de vegetais podem promover uma vida sexual mais satisfatória para os adeptos do que entre aqueles que consomem carne.

Este é o primeiro estudo que trata dos efeitos de certos alimentos nos níveis hormonais e no aumento da atividade sexual. O principal resultado da pesquisa mostrou que os fitoestrogênios – também conhecidos como os hormônios do sexo – encontrados nos vegetais tinham grande influência no comportamento de primatas selvagens.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores investigaram um grupo de macacos de Uganda, já que os humanos teriam um comportamento muito semelhante ao dos primatas. Durante 11 meses, Michael Wasserman, estudante do Departamento de Ciência Ambiental, Política e Gerenciamento da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, e sua equipe acompanharam a rotina dos animais e sondaram seus comportamentos.

Os pesquisadores tinham como foco as agressões, que eram medidas pelo número de brigas, e a frequência com que os macacos passavam fazendo a corte e se reproduzindo. Para ter acesso aos níveis hormonais dos primatas, foram coletadas amostras de suas fezes.

Ao cruzar os dados, os cientistas descobriram que os macacos que se alimentavam de Milletia dura, uma planta tropical rica em compostos semelhantes ao estrogênio e relacionada à soja, tinham maiores níveis de estradiol – o hormônio do sexo – e cortisol – o hormônio do stress. As alterações nessas duas substâncias influenciavam no tempo que os animais passavam fazendo a corte ou se reproduzindo.

“Por alterar os níveis hormonais e comportamentos sociais importantes para a reprodução e a saúde, as plantas podem ter um grande papel na evolução dos primatas – incluindo os humanos – de maneiras que ainda não foram plenamente estudadas”, declarou Wasserman ao Sciencelive.

Outro estudo realizado por cientistas da Bellarmine University, em Kentucky, nos Estados Unidos, mostrou que os homens acreditam que comer carne os faz mais másculos. O pesquisador Hank Rothgerber, cujo estudo foi publicado no periódico Men and Masculinity, disse que o consumo de carne está relacionado com “a masculinidade, o poder e a virilidade”.

Essa pesquisa foi realizada depois que o PETA – grupo de defesa dos direitos dos animais – apontou que os vegetais são a solução para uma vida sexual mais ativa com o argumento de que para apimentar a relação entre quatro paredes basta fazer pequenas mudanças na cozinha.

O grupo defende que o colesterol presente nas carnes, nos ovos e nos derivados do leite podem bloquear as artérias e dificultar o fluxo de sangue nos órgãos – incluindo aqueles que são fundamentais na cama. Por outro lado, um estilo de vida vegano está livre de qualquer gordura ou colesterol encontrado em carnes, ovos e lácteos.

Segundo o PETA, os veganos – pessoas que seguem esse tipo de dieta – costumam estar em forma e correm menos riscos de ter doenças do coração, obesidade, diabetes e câncer.

“Quando se trata de sexo, os carnívoros têm menos disposição, pois seu fluxo sanguíneo precisa se espremer nas artérias bloqueadas. Já os veganos têm histamina suficiente para que a festa dure a noite toda”, declarou Mimi Bekhechi, diretora associada do PETA UK.

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Orgasmos femininos: vaginal, clitoriano, anal e outros tipos

Especialistas explicam a diferença entre eles e ensinam a chegar lá

O corpo arrepia, a pele fica quente, os batimentos cardíacos se tornam intensos e a respiração também fica mais rápida. Todas essas sensações, juntas, costumam ser sentidas por uma mulher que chega ao ápice do prazer. Mas, apesar de existirem alguns sintomas recorrentes, nem sempre o prazer é igual, pelo contrário: existem diferentes tipos de orgasmos femininos e também diferentes formas de chegar lá.


“As sensações do orgasmo são semelhantes, porém nem sempre ocorrem da mesma maneira. Podem variar de intensidade e duração das sensações, de acordo com o estímulo realizado”, comenta a ginecologista e obstetra Dra. Erica Mantelli.

E é aí que mora o grande segredo, nos estímulos! “O que existe são pontos diferentes de gatilho. O orgasmo pode ser originado através do estímulo do clitóris, estímulo vaginal ou ambos. Vale lembrar que outras zonas podem ser erógenas e quando estimuladas gerar muito prazer na mulher, como os mamilos e até mesmo a pele. Tudo vai depender do desprendimento de cada mulher e da sua capacidade de se explorar e descobrir em seu corpo o que mais a agrada”.

Orgasmo Clitoriano


É aquele que acontece com o estímulo no clitóris e é o mais fácil de alcançar. Isso porque esse é um órgão de fácil acesso e pode ser acariciado sem muitas dificuldades. “O clitóris possui muitas terminações nervosas, o que favorece chegar ao clímax após estímulo correto”, explica Dra. Erica.

Como chegar lá: A masturbação aqui é a grande arma. “A mulher precisa ter conhecimento do seu corpo para que tenha um orgasmo”, afirma a sexóloga Luciane Secco. Sabendo bem onde sente mais prazer, a mulher pode guiar o parceiro para que, durante as relações a dois, ela também atinja oorgasmo clitoriano. Existem também algumas posições sexuais que favorecem o prazer feminino e que podem ajudar.

Orgasmo Vaginal 


 o que leva a mulher ao prazer pela penetração na vagina, onde há aquele famoso e polêmico Ponto G. “É possível após estimulação e penetração vaginal, porém pela dificuldade em localizar o ponto de maior prazer, muitas mulheres têm mais dificuldade em conseguir atingir o orgasmo através desse ponto de gatilho”, garante a ginecologista Dra. Erica Mantelli.


Como chegar lá: Não é muito fácil encontrar lá dentro o lugar exato para ser estimulado, mas uma boa comunicação pode ajudar. Aponte para o parceiro o jeito que te dá mais prazer e invista nele. Mas, se você quiser ser mais exata e ir cegamente à procura do Ponto G, a  ginecologista Dra. Glene Rodrigues Faria descreve sua localização: é a área colada à parede superior da vagina, logo na entrada, antes da uretra.

Orgasmo Anal


Como diz o próprio nome, ele pode ser atingido por meio do sexo anal. Essa região também pode fornecer muito prazer às mulheres, mas são poucas as que aceitam esse tipo de relação, graças ao medo da dor que podem sentir.


Como chegar lá: Segundo a sexóloga Carla Cecarello, diretamente, é muito raro conseguir chegar ao orgasmo somente pelo ânus, mas é possível. O jeito é estar com muita vontade e se entregar, relaxando e se deixando sentir prazer. Para ajudar, alguns truques podem garantir um sexo anal sem dor.

Orgasmo Perineal 


O períneo muitas vezes passa despercebido no sexo, mas pode ser importantíssimo para atingir o orgasmo. Ele fica na região entre a vagina e o ânus, que, segundo a Dra. Erica, é rica em vasos sanguíneos e, por isso, se torna altamente sensível. “Ele incha com a excitação, aumenta a irrigação e a sensibilidade e o ponto pode se transformar em uma zona erógena para homens e mulheres”.


Como chegar lá: O primeiro passo é conhecer o períneo. Depois, apresente-o ao parceiro e peça por carícias no local. Com os estímulos certos, ele aumenta as contrações da vagina e podem dar muito mais prazer ao casal.

Como atingir o orgasmo 


As dicas podem ajudar a ter prazer, mas as especialistas alertam para a preocupação exagerada em encontrar esses diferentes tipos de orgasmo. Segundo elas, a fixação pode acabar prejudicando a relação.
“Essa diferença é muito mais teórica do que prática. Se para muitas mulheres já é tão difícil chegar ao orgasmo, imagina nutrindo essa neura de ter um tipo x ou y ou procurar o Ponto G. O importante é se conhecer e ter prazer”, avalia a sexóloga Luciane Secco.


Dra. Erica Mantelli concorda. “Independente da maneira que a mulher atinge o orgasmo, ter prazer durante o ato sexual é fundamental para a saúde sexual. Se a mulher notar dificuldade em atingir orgasmo, ausência total do orgasmo ou qualquer outra alteração que a incomode e dificulte sua vida, é preciso conversar abertamente com seu ginecologista para identificar e tratar possível disfunção”, finaliza a especialista.



quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Vibradores Studio Collection: prazer com discrição

A linha de vibradores Studio Collection da marca Screaming O foi desenvolvida para quem gosta de produtos eróticos eficientes e discretos.

Leves e altamente potentes, os vibradores Studio Collection imitam o formato de batom, blush e rímel, o que pode ser facilmente confundido com um objeto de beleza. A ideia da empresa foi de criar um produto que fosse discreto, prazeroso e fácil de levar para qualquer lugar.

Erotic Point distribui a linha Studio Collection para diversas sex shops do Brasil e também garante: o produto é sensacional e as mulheres adoram. Confira abaixo os três vibradores da linha Studio Collection.

Vibrador batom – Studio Collection – Screaming O


O que aparentemente seria um batom se torna em um potente vibrador multifunção, uma vez que a mulher acione o discreto botão fixado na base do acessório.

O Vibrador batom oferece três modos de intensidade e um padrão vibratório, que pulsa de forma estimulante e super silenciosa. A parte que simula a cor do batom possui uma textura leve e flexível.

Vibrador Blush – Studio Collection – Screaming O


O vibrador blush também é um acessório erótico potente com multifunção, com um botão discreto para ligá-lo. É uma replica fiel de um blush, só que com requisitos ainda melhor.

Com três modos de intensidade e um padrão vibratório, o vibrador blush tem cerdas macias e suaves, com uma textura leve e flexível, o que estimula ainda mais a região no momento do uso.

Vibrador Rímel – Studio Collection – Screaming O


O vibrador em formato de rímel possui basicamente as mesmas características dos vibradores Blush e Batom: multifunção, três modos de intensidade e um padrão vibratório. 

Sua extremidade que simula o formato do rímel possui cerdas macias e suaves. Com um design sofisticado, este vibrador oferece privacidade de modo que, é possível levá-lo para qualquer lugar, de forma super discreta.

O que ele pensa quando está na cama com você?

O que pensam os homens durante o sexo? Aí está o que pode ser um dos principais segredos da vida de casal. Se a relação estiver difícil, os homens podem pensar numa vizinha, colega de trabalho, ou até mesmo em uma famosa supermodelo. Esse é um dos pesadelos da mulher, que sonha com um relacionamento totalmente dedicado e sem necessidade de trazer outras pessoas para a cama.



Mas pensar em outras coisas durante a transa pode acontecer por outros motivos. Muitas vezes o estresse do trabalho é trazido para casa e para os lençóis. É terrível, mas quando os níveis de estresse estão elevados, por vezes não se consegue evitar. E aqui a filosofia oriental tem razão: a relação sexual nem sempre é remédio para os problemas, e pode ser melhor esperar um tempo, limpar a cabeça e só transar quando o espírito estiver livre e completamente dedicado ao amor.

Aliás, a relação até pode ser ótima e superapaixonada, e ser precisamente esse o motivo para os homens pensarem em outros assuntos. O namorado ou marido dedicado em conseguir prolongar o ato durante o máximo de tempo possível pode utilizar o recurso de pensar em assuntos aborrecidos, como questões de contabilidade, para retardar o orgasmo.

O homen pode também ter pensamentos bem mais bizarros. Se tiver fantasias que a mulher não quer concretizar, ele pode se imaginar em meio a esse cenário de fantasia durante o ato de amor com sua mulher. Mas nada como dividir e tentar concretizar essas fantasias para conseguir um relacionamento mais livre e transparente.

Mas todas estas hipóteses não têm de ser a regra. Na verdade, quando o casal está muito apaixonado, os homens só têm mesmo cabeça e coração para a sua amada. E quando a vida de casal mostra seus obstáculos, e o estresse dificulta o sexo, é hora de ambos trabalharem para reacender a chama da paixão.


terça-feira, 27 de agosto de 2013

Cinquenta Tons de Cinza e você

 O que esse livro pode acrescentar na sua vida sexual

Sucesso em todo o mundo, o livro 50 Tons de Cinza está sendo considerado um best-seller. O romance narra a relação entre a virgem Anastasia Steele e o empresário Christian Grey. A bela se encanta com o jovem inteligente, charmoso e altamente dominador. Apaixonada, a protagonista tem um tórrido caso de amor com o homem, que mantém segredos e desejos obscuros quando se trata de sexo.



A história, escrita pela inglesa Erika Leonard James, traz à tona temas sexuais como fetiche e sadomasoquismo, ao descrever jogos de poder exercidos por Grey. Ele propõe que Anastacia seja sua escrava sexual. E, apesar de sua inocência, a mulher aceita. Esse é o pano de fundo para o desenrolar do romance, que vem causando muita polêmica.

Psciólogos afirmam que o sadomasoquismo só é possível quando duas pessoas de interesses opostos na cama se encontram: quem gosta de provocar a dor e quem gosta de sofrer. Para um relacionamento desse tipo dar certo, é preciso que o casal esteja alinhado em suas expectativas.

O sadomasoquismo é caracterizado por comportamentos violentos durante o sexo, como andar com salto agulha sobre o corpo do homem, colocar argolas nos mamilos das mulheres, provocar queimaduras e ferir com objetos pontiagudos. Normalmente, os atos são praticados com cordas, cadeados, chinelos, velas, chicotes e tachinhas.

 E o que 50 Tons de Cinza pode trazer de benefício para a sua relação, que não é sadomasoquista? A questão é que existe uma grande distância entre ser adepto dessa linha e ter alguns tipos de fetiche. Em geral, os casais possuem vontades eróticas, querem experiências que lhes dão mais prazer na cama. Usar algemas, vestir-se com roupas de couro e fazer joguinhos são algumas das coisas que você pode experimentar sem deixar a relação pesada. Quando usadas com moderação, estas podem ser práticas úteis para apimentar o relacionamento e melhorar o sexo. Experimente.

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

O que toda mulher deve saber sobre sexo anal

Prática pode, sim, causar dor, mas há mulheres que conseguem chegar ao orgasmo através dela


Ainda existe um tabu muito grande em torno do sexo anal. Muitas pessoas acham que é anti-higiênico, outras acreditam que a prática provoca dor e nenhum prazer e há ainda as mulheres que pensam que serão menos valorizadas pelos parceiros se aderirem à modalidade. É verdade que, dentre as coisas que os homens adoram na cama, esta posição sexual está no topo da lista. No entanto, isso não significa que as mulheres não possam se satisfazer através dela. É possível ter prazer com o sexo anal, e o mais importante é que a mulher escolha aderir à prática visando o próprio prazer, e não apenas para agradar o parceiro.



Sexo anal dói?

Este é um dos maiores receios das mulheres que nunca praticaram a modalidade. De fato, a dor é uma possibilidade. Segundo explica a sexóloga Carla Cecarello, a musculatura do ânus foi feita para expelir, não para inserir. Por isso, a contração e a dor são reações naturais.
Se o nível de tensão e nervosismo forem altos, o incômodo pode ser maior. Portanto, a orientação da especialista é, antes de mais nada, estar confortável e ciente da decisão. Além disso, para quem nunca praticou sexo anal antes, o cuidado do parceiro é importante para tornar a experiência agradável.
Assim como a penetração vaginal, que é dolorosa na primeira vez, essa posição também requer tempo de adaptação até que possa ser feita sem dor.

Orgasmo com sexo anal

Carla afirma que é muito raro atingir o orgasmo com a penetração do ânus. Segundo ela, o que torna o momento prazeroso é o envolvimento, a entrega e a fantasia. O que pode ajudar a mulher a gozar é o toque, feito por ela ou pelo parceiro, nas zonas erógenas e no clitóris. No entanto, algumas mulheres afirmam que ficam tão excitadas no momento que acabam tendo um orgasmo mesmo sem o estímulo de outras regiões.
“Sem dúvida, são os homens os que mais apreciam a prática, embora algumas mulheres relatem alcançar assim o orgasmo. Em suma, qualquer prática sexual só se justifica se for prazerosa para ambos os parceiros e não por obrigação ou para agradar ao outro”, afirma a psicanalista e escritora Regina Navarro Lins.

Prazer masculino

Mas por que os homens gostam tanto de sexo anal? A resposta, na verdade, é muito simples e lógica. O canal do ânus é mais apertado do que o da vagina, o que confere muito mais prazer a eles. Por não terem sido feitas para “receber” nada, apenas para eliminar, quando o pênis é introduzido no ânus, as paredes se contraem, oferecendo ainda mais prazer. Outro fator que contribui é a obsessão que a maioria dos homens tem pelo bumbum feminino.
Além da questão física, a preferência masculina pela prática envolve um fator psicológico. Por ser um tabu, a penetração por trás passou a ser vista como algo proibido e difícil de ser conquistado – o que a tornou ainda mais atraente.
O sexo anal, portanto, une duas coisas que os homens adoram: prazer e desafio. Por isso, de todas as práticas sexuais, está dentre as mais desejadas.

Como fazer sexo anal

Algumas dicas para as mulheres que desejam iniciar a prática são:

Use os dedos

No início, peça para o seu parceiro introduzir o dedo. Isso irá ajudar no relaxamento e adaptação à modalidade. “Toque a entrada do ânus e espere a contração, sem afastar o dedo. Em seguida, os músculos irão relaxar novamente. Neste momento, é preciso forçar um pouco mais e esperar uma nova contração. Fazendo isso repetidas vezes, aos poucos, é possível chegar lá sem dor”, orienta Carla Cecarello.

Lubrificante

Um fator que dificulta bastante a penetração por trás é a falta de lubrificação natural. A indicação é usar um gel à base de água, que não irrita a região.

Nunca use Anestésicos 

Os produtos que causam amortecimento local são perigosos, pois, como a mulher perde a sensibilidade, é possível que o parceiro faça movimentos mais bruscos sem que ela perceba, apresentando o risco de ferimentos graves e até o rompimento de pregas.

Maior risco de DSTs

A vagina possui um pH ácido que é capaz de matar alguns vírus (porém, não evitando completamente a contaminação de doenças venéreas). Já o ânus não possui esta proteção natural, portanto é ainda mais vulnerável às Doenças Sexualmente Transmissíveis. Por isso, o uso da camisinha é imprescindível – apesar de não ser possível engravidar com o sexo anal.

Qual a melhor posição para fazer sexo anal? 

posição menos dolorosa para a mulher é de lado (“conchinha”), pois o ânus fica mais relaxado, diminuindo a dor. Outra posição comum é de quatro, mas ela pode ser mais incômoda para quem é penetrado. Existe ainda a possibilidade de a mulher sentar por cima do homem, de costas para ele. Desta forma, ela consegue controlar melhor a penetração.

Limpeza intestinal é perigosa 

A lavagem retal consiste na introdução de um cano de água no ânus, que promove a eliminação de restos de fezes (já que existe o risco de eles escaparem durante o sexo). No entanto, esta prática é completamente contraindicada pelos médicos, pois é muito perigosa. O recomendado é higienizar a entrada do ânus com água e sabão, mas nunca lavar a parte de dentro.

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Conheça as 7 posições sexuais que mais estimulam o prazer

Sair da rotina, às vezes, faz bem ao relacionamento. Surpreender o amor com noites quentes e posições sexuais novas pode ser uma ótima opção para apimentar ainda mais a hora H. Buscar prazer em posições sexuais que favoreçam e estimulem o prazer sexual feminino é muito importante. A mulher precisa se conhecer mais para, assim, deixar o seu corpo mais solto e entregue ao prazer na hora do sexo.

A noite precisa ser boa tanto para ele como para ela. Por isso, além da penetração, precisa haver uma troca muito grande de afinidade. Para explicar um pouco mais sobre a busca do prazer feminino e dar dicas de posições sexuais para apimentar a relação, conversamos com a “Dra. Eva Gina”, personagem do Programa Penetra, do canal Sexy Hot.



Qual a posição sexual que mais estimula o prazer feminino?
As posições mais estimulantes são aquelas que permitem o contato com o clitóris, seja de forma manual ou pela fricção no corpo do parceiro. Bons exemplos são aquelas em que a penetração ocorre com a mulher deitada de costas por cima do corpo do parceiro, ou as que a mulher fica sentada de frente para o parceiro deitado.

- Qual posição sexual a mulher consegue chegar mais rápido ao orgasmo?
Cada mulher tem a sua posição preferida para atingir o orgasmo. Umas preferem de quatro, outras sentada, isso depende de cada mulher. Mas vale citar que a masturbação é uma grande aliada para se chegar ao clímax sexual. Ela pode ser feita pela própria mulher. Uma boa dica é ser estimulada manualmente pelo parceiro ou através do sexo oral.

 - Qual posição sexual é mais confortável para a mulher?
Em sexo não há regras. Mas há duas que fazem muito sucesso: quando elas ficam por cima e de ladinho. Nelas, as mulheres possuem maior controle e é mais fácil para estimularem o próprio Ponto G.

Quais são as 7 posições sexuais que mais apimentam a relação?

1 – Os dois sentados de frente para o outro com a mulher por cima. Essa posição faz com que as mulheres se sintam dominadas e acolhidas ao mesmo tempo. A dica é o homem segurar a mulher com vontade, apertando-a. Para quem gosta um leve puxão de cabelo também vale.

2 – A mulher fica deitada de frente para o parceiro e ele fica sentado. Uma das pernas dela fica esticada para o alto apoiada no ombro dele para tornar a penetração mais vigorosa. Essa posição permite que a mulher seja acariciada no clitóris pelo parceiro. Com isso, possibilita uma alta lubrificação da vagina e fortes espasmos musculares que excitam ambos.

3 – Para a mulher que adora deixar o parceiro bem excitado, essa posição é uma ótima dica. Ele fica deitado de barriga para cima e ela deitada sobre ele de barriga para baixo e de costas para ele. Os homens adoram a visão panorâmica que têm do bumbum delas.

4 – Essa é clássica, mas não sai de moda. Ela fica de quatro e ele, de joelhos, a penetra. É campeã de audiência por permitir uma penetração profunda. A mulher pode ajudar nos estímulos mexendo o próprio quadril.

5 – Essa requer força para ele e equilíbrio para ela. O parceiro fica de pé e segura a parceira no colo com as pernas em volta de seu corpo, que se entrega nos braços dele.

6 – Mais uma que dá profundidade! Ela fica deitada de barriga para cima e de frente para o parceiro com os dois pés apoiados nos ombros do rapaz. Ele fica ajoelhado e penetra de forma acelerada. É uma ótima posição para ser escolhida para terminar com chave de ouro o ápice sexual do casal.

7 – Para fechar, tem aquela clássica para ser feita no chuveiro. Ela, de costas, apóia os braços na parede e empina o bumbum, enquanto ele a penetra por trás.
“É legal lembrar também que brinquedinhos eróticos e vibradores de todos os tipos são super bem-vindos na hora de apimentar a relação”, finaliza.

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Situações constrangedoras na hora H: como lidar?

Veja como driblar algumas situações engraçadas ou tensas que podem acontecer

Algumas noites de sexo ficam marcadas não porque foram boas, mas porque algo constrangedor aconteceu. No momento dá uma vergonha imensa e na maioria das vezes as pessoas não sabem o que fazer. A psicóloga e sexóloga Carla Cecarello dá dicas para ter jogo de cintura na hora H quando algo engraçado ou constrangedor acontece.



Calcinha bege e depilação
A mulher procura estar sempre com a depilação em dia e com um lingerie legal para surpreender o parceiro, mas às vezes ela é pega desprevenida. Nessas horas, a dica de Carla é relaxar. “A melhor postura nesse caso é não comentar nada e deixar a encanação de lado. Pedir desculpas ou fazer algum comentário sobre o assunto acaba chamando atenção para algo que ela quer esconder”, afirma. O mesmo vale se um dos dois fizer algum barulho constrangedor sem querer. A sexóloga ressalta que esse tipo de coisa às vezes acontece e que o melhor a se fazer é seguir em frente.

Falar o nome de outra pessoa
Quando, na hora H, o nome que você ouve não é o seu dá uma vontade de sair correndo dali, certo? É realmente uma situação complicada que costuma quebrar totalmente o clima. “Às vezes o processo de desligamento em relação a um relacionamento anterior leva um tempo para acontecer e pode escapar o nome errado. É difícil, mas nessa situação o mais indicado é não valorizar o erro, mas sim o momento que os dois estão tendo”, diz Carla. Ela afirma ainda que independente de quem tenha cometido o deslize, é interessante propor uma conversa posterior, não imediatamente após a transa, para não ficar uma impressão ruim.

Ele broxou, e agora?
Esse é o tipo de situação constrangedora na qual o a mulher não sabe o que dizer e o homem menos ainda. “Fuja do clichê “isso acontece”, porque só faz o parceiro se sentir ainda pior. A dica nesse caso é dizer de forma firme e direta “fica tranquilo”. A sexóloga garante que situação fica ainda mais constrangedora se os comentários vêm acompanhados de um tom de compaixão. “Propor um banho ou oferecer uma massagem é uma boa opção para que o parceiro relaxe”, completa.

Tombos e escorregões
Na hora de trocar de posição, dependendo do lugar, pode acontecer uma situação engraçada na qual um dos dois – ou os dois! – se desequilibram e caem. Não alimente um clima de tensão! “Isso vai muito da intimidade e sintonia do casal! Uns caem da gargalhada e brincam com a situação, outros fingem que nada aconteceu. O que importa é não valorizar a falha”, explica Carla.

Expressões verbais pesadas
Falar durante o sexo é um estímulo saudável, mas se o homem acabar pegando pesado nos adjetivos ou nas expressões, converse com ele sobre isso depois. “Na hora da transa não é bacana tocar no assunto ou assumir uma postura de que ficou ofendida. O melhor é explicar para ele depois que você não gosta de ouvir coisas tão fortes”, afirma a sexóloga.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

Sexo selvagem pode acabar com seu casamento

A transa da reconciliação é um vício, acredita psicólogo



Se você possui a sensação de que a melhor transa da sua vida acontece depois de uma discussão com a parceira — o famoso sexo de reconciliação —, então, meu caro, pode crer que seu relacionamento está condenado ao fracasso. Pelo menos é o que acredita o psicólogo Seth Meyers em artigo publicado no Psychology Today.

A tese defendida por Meyers é a seguinte: se a melhor transa da sua vida acontece depois de uma briga, então você sempre irá brigar. Você ficaria condicionado tal qual um mico de circo. A crença é que a recompensa vale o desgate provocado pela discussão do relacionamento. E, claro, a longo prazo isso para de funcionar.

“Durante o sexo de reconciliação, os casais muitas vezes expressam emoções positivas e chegam a um estado momentâneo de felicidade”, escreve Meyer.  “O problema: isto não é a verdadeira intimidade. Intimidade é o amor mútuo e equilibrado, enquanto o drama é extremo e fantasia. O sexo de reconciliação muitas vezes reflete a fantasia inconsciente de ser capaz de fazer tudo melhor com o sexo”.

Faz sentido. Mas também vem acompanhado de uma notícia ruim: se você nunca discutir com a parceira, então estará longe de fazer o melhor sexo da sua vida.

segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Vibrador rotativo com estimulador clitoriano Butterfly – Play Candi

Há vários modelos de vibradores com funções diversificadas e tamanhos variados. As empresas de produtos eróticos vêm desenvolvendo sex toys que têm agradado pessoas com gostos distintos. Ou seja, é possível encontrar vibradores, masturbadores e penetradores com formatos diferenciados, luxuosos, simples e com funções interessantes.

Exemplo disso é o vibrador rotativo impulse com estimulador clitoriano da marca Play Candi. Chamado de Wiggle Butterfly, o vibrador possui os melhores requisitos para trazer o máximo de estimulação e prazer à usuária.



O Wiggle Butterfly é feito em silicone de alta qualidade e vem equipado com um motor potente e silencioso. Com 3 velocidades de rotação e 7 modos de vibração, o vibrador rotativo aprimora o momento e garante momentos únicos de prazer.

O estimulador clitoriano em formato de borboleta é atrativo e diferente de outros estimuladores, proporcionando momentos únicos de satisfação. Confira mais informações sobre o produto no site da Erotic Point. 





sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Homens e mulheres relatam a mesma quantidade de experiências sexuais e desejo por sexo casual

Pesquisa da Universidade da Califórnia teve 600 participantes e apontou que as as mulheres se soltam mais nos ambientes on-line



Elas tendem a ser mais recatadas em público. Isso não quer dizer que não tenham desejos. Um estudo realizado recentemente pela Universidade da Califórnia com 600 participantes constatou que homens e mulheres relatam a mesma quantidade de experiências sexuais e desejo por sexo casual ao longo da vida. No entanto, isso só acontece quando as mulheres têm certeza de que as informações serão preservadas. Os homens, por outro lado, aumentam a quantidade de relações quando sabem que alguém pode acessar as informações.

A líder da pesquisa, Melanie Beaussart, acredita que, por causa disso, as mulheres se soltam mais nos ambientes on-line. “Eu acho que, quando se sentem protegidas pelo anonimato, as mulheres expressam a sua sexualidade de forma diferente. Outras pesquisas mostraram que elas estão mais preocupadas com a privacidade on-line do que os homens, talvez pelo fato de muitas de nós já terem tido experiências ruins”, explica a pesquisadora. Isso pode ter acontecido, segundo ela, porque um ex-namorado ou pretendente é capaz de ter publicado informações pessoais do relacionamento.

Além disso, existe um padrão cultural que considera promíscuas as mulheres com muitos parceiros sexuais. Ante o estigma social negativo, elas se tornam mais vigilantes sobre a sua reputação on-line. “Até mesmo uma pesquisa de psicologia, por meio da internet, despertou medo nas mulheres. Elas temeram que alguém pudesse encontrar as conclusões”, conta Melanie. Outro resultado que chamou a atenção da pesquisadora é que a socios-sexualidade faz parte da personalidade do indivíduo.

Isso significa que, se a pessoa tem vida sexual bastante ativa, ela precisa ser solteira para ter parceiros casuais. “O que vimos no estudo é que os homens têm, sim, a vida sexual mais ativa. Mas, no fim das contas, eles e elas têm o mesmo número de parceiros sexuais. Quando suspeitavam que os resultados poderiam ser expostos, os homens inventaram o número de parceiros sexuais, mas diminuíram a informação sobre a atividade sexual”, disse Melanie. Isso é, em público eles disseram “Sim, tive muitas mulheres, mas sou fiel e não as traí, pois a atividade sexual foi apenas com elas.”

No entanto, Melanie destaca que eles não têm tantas parceiras como dizem. “Parece-me que ter uma imagem de uma pessoa que não sairá tendo relações indiscriminadamente é importante, tanto para homens quanto para mulheres”, comenta. A média encontrada por Melanie foi de 3,27 parceiros sexuais durante a vida inteira. Entre os participantes, 387 eram mulheres e 183 homens.

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

10 motivos porque deve fazer Sexo frequentemente

Uma vida sexual ativa é um dos fatores mais importantes para manter o corpo, a alma e o seu relacionamento saudável



Porque é que é bom fazer sexo frequentemente?
Quando pensamos em sexo, provavelmente não pensamos em tal questão porque adoramos fazer amor e não precisamos de mais nenhum argumento para o fazermos. Porém, mais uma ou duas vantagens não prejudicam ninguém. Está provado cientificamente que uma vida sexual ativa tem efeitos positivos no corpo e na alma. Vejamos 10 argumentos extra para nos lançarmos aos lençóis.

10 argumentos a favor do sexo frequente:

1. Fazer sexo frequentemente é praticar exercício físico
Todos estão familiarizados com a agradável fadiga que surge após a atividade sexual, que nos faz dormir como bebés. O Dr. Michael Cirigliano da Escola de Medicina da Universidade da Pensilvânia diz que fazer amor três vezes por semana queima cerca de 7500 calorias por ano, o equivalente a correr 120 km.

2. Respirar profundamente
O aumento da quantidade de oxigénio nas células causado pela respiração ofegante durante a atividade sexual ajuda a manter órgãos e tecidos vitais a funcionar em pleno.

3. Sexo frequente mantém os seus ossos e músculos fortes
A Dr.ª Karen Donahey, diretora do Programa de Terapia Sexual e Conjugal do Centro Médico da Universidade de Chicago diz que um dos resultados da prática de uma atividade física, como a relação sexual, é o aumento dos níveis de testosterona. O aumento da hormona sexual masculina ajuda a manter os ossos e músculos fortes.

4. Sexo frequente baixa os seus níveis de colesterol
Um dos efeitos de uma vida sexual ativa é a diminuição dos níveis de colesterol.

5. A dor pode ser aliviada com sexo frequente
Fazer amor ajuda a aliviar a dor, diz a Dr.ª Bervely Whipple, presidente eleita da American Association of Sex Educators, Counsellors and Therapists, aliviando assim as dores de cabeça e as dores causadas pela artrite. Isto deve-se às hormonas libertadas durante a excitação sexual e o orgasmo.

6. DHEA – sem suplementos
Durante a atividade sexual e antes de atingir o orgasmo e a ejaculação, é libertada uma hormona suplementar, a DHEA (dihidroepiandrosterona) em concentrações até três vezes mais elevadas do que o normal, sem quaisquer agentes artificiais, contribuindo assim para uma melhoria considerável da sua disposição. Essa é a razão pela qual é tão famosa.

7. Sexo frequente protege a próstata
Estudos mostram que fazer amor é fantástico para proteger a próstata, já que a ejaculação regular ajuda a levar o fluido acumulado na glândula.

8. Alivia o stress
Fazer amor é uma forma eficaz de reduzir os níveis de stress porque tem um efeito positivo na sua disposição e ajuda a manter os problemas externos à distância.

9. O amor mantém-nos juntos
Relações sexuais regulares são o elemento principal de um relacionamento porque o toque e o carinho fazem aumentar os níveis de oxitocina, a “hormona de ligação” entre os parceiros, que fortalece o desejo de fazer amor frequentemente.

10. Hormonas - naturalmente
Fazer amor aumenta os níveis de estrogénio, a hormona feminina, que protege o coração e ajuda a manter o vigor do seu parceiro.