sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Feira de produtos eróticos expõe rosto feminino que simula sexo oral

A Pipedream Products começou a enviar o mais novo mega-masturbador, um simulador de sexo oral, desde julho a marca vem criando um burburinho na internet sobre o novo produto.

"O vídeo de demonstração já está próximo de 30 mil visualização em menos de 2 meses." explica o gerente de relações públicas da Pipedream, Kevin Johson. "Obrigado a todos que viram e compartilharam o vídeo, recebemos muitos e-mails perguntando quando o produto estará disponível.".

Feito inteiramente me cyber-skin, este masturbador possui olhos que piscam, uma garganta realística, uma pele macia e cabelo de verdade que pode ser dominado, tudo pára a mais real experiência de sexo oral. Não há nada parecido com ele no Mercado, e é certeza que será um sucesso.

"Como todos os nossos produtos, o Fuck My Face é um mega-masturbador alguns homens à realizar suas fantasias que não podem viver na vida real." Diz Nick Orlandino, CEO da Pipedream. "Nós temos a opção loira e morena, esse é um produto limpo e antibactertiano, perfeito para realizar todas as fantasia que os homens tem com sexo oral. Estamos confiantes de que vai fazer bem para todos os varejistas com os clientes do sexo masculino."

Mulher posa nua e em posição sexual na feira erótica na Alemanha


A maior feira erótica do mundo a VENUS, está sendo realizada em Berlim, na Alemanha. A feira está completando 10 anos, com a maior área de exposição desde seu lançamento, 28.000m² e está trazendo muitas novidades em vibradores, lingeries, fantasias e sextoys em geral.

Mas nesta quinta feira, uma mulher posou nua e em posição sexual e roubou a cena. Ela atraiu dezenas de fotógrafos e visitantes para o seu redor.

Além disso, possui shows de strip-tease, simulações de sexo e modelos posando seminuas para os fotógrafos e os visitantes da feira. Público é uma atração à parte. Pelos corredores da Venus-Berlin foi possível encontrar mulheres com seios de fora ou nuas.

A VENUS irá durar até domingo, e ai ainda são esperados mais 30 mil pessoas até lá.

Os preservativos mais diferentes do mundo

Hoje em dia não tem nada mais fundamental do que preservativos, tanto para prevenir as tão conhecidas DSTs, como por questão de higiene e auto-preservação.

Por isso muitas empresas têm apostado na inovação e na criatividade para chamar a atenção dos consumidores.

1.   Condometric - Um preservativo aparentemente normal, mas possui uma régua estampada sendo assim o primeiro preservativo que mede o comprimento do pênis.


2.   Preservativo Spray - Uma empresa alemã desenvolveu um spray preservativo. O preservativo líquido vem em uma lata de aerosol que você pulveriza no pênis. Poucos segundos depois, o líquido solidifica virando uma camisinha de látex sob medida. Infelizmente este produto ainda está em fase de teste e não tem previsão para chegar ao mercado.

 

3.   Smoking - O diferencial deste é a estampa mais "formal" com gravata borboleta e botões, ótima opção para quem quer descontrair um pouco mais.


4.   Love light - É um preservativo fosforescente, o fato de ele brilhar no escuro facilita muito. Ela brilha por 15 minutos e recarrega após 30 segundos de exposição à luz.


5.   Preservativo de Whisky - O nome já diz tudo, a McCondom é aromatizada e tem o gosto de mais puro whisky escocês.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Como higienizar estimuladores de choque

Muitas pessoas já conhecem estimuladores de choque e como usar a terapia de choque, mas recebemos muitos e-mails perguntando da maneira apropriada de higienizá-los. Você deve tomar um pouco mais de cuidado na hora de limpá-los.

1. Nunca mergulhe fios, condutores e a caixa de força na água. Sempre use um pano umedecido e sabonete antibacteriano para higienizar todas às partes.
2. Os adesivos condutores que acompanham alguns produtos podem ser mergulhados para melhor higienização, uma vez que eles estão desconectados de qualquer fio. Use um sabonete antibacteriano ou um higienizador próprio para sextoys e enxágue com água morna e certifique-se que eles estejam bem secos antes de plugá-los novamente.

Essas técnicas servem para a grande maioria dos estimuladores de choque, nunca mergulhe os prendedores de mamilos, anel peniano ou fios, pois a única parte segura para submersão são os adesivos. Agora você pode higienizar seus estimuladores sem nenhum tipo de preocupação.


Lançada primeira revista gay em árabe


Em uma sociedade rígida fundamentada nos princípios islâmicos, a homossexualidade além de pecado, é um assunto polêmico e crime.

E foi nesse cenário que surgiu a "Mithly", que significa "Igual a nós" e é a primeira revista circular em árabe, voltada para o público gay num país de maioria muçulmana.

A revista foi lançada também na internet, e seus acessos ja passam de 1 milhão desde seu lançamento em abril. E para causar ainda mais furor os 200 exemplares impressos na Espanha foram distribuidos clandestinamente nas principais vias da capital Rabat.
 
Uma revista simples com apenas 20 páginas que evitou fazer provocações ou atrair leitores com pornografia e consumismo. Sua primeira edição trouxe assuntos como o Dia Internacional da mulher, as repercuções das manifestações contra o show de Elton John no festival Mawazine, em Rabat, depoimentos de homossexuais que se assumiram publicamente e um conto do escritor marroquino Abdellah Taïa, autoexilado em Paris ha 10 anos.

No Marrocos, a homossexualidade é punida com prisão de seis meses à três anos e rende multas muito pesadas, mas, mesmo assim não houve nenhum pronunciamento oficial do gorverno marroquino e nem das principais autoridades islâmicas.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Já ouviu falar de alergia a sêmen?



Alguns médicos holandeses têm pesquisado as causas de uma doença misteriosa, quando alguns homens ficam com sintomas de gripe logo após o sexo. Conhecida como 'Síndrome da Doença Pós- Orgásmica', pode ocorrer porque alguns homens são alérgicos ao próprio sêmen.

Essa doença foi documentada pela primeira vez em 2002, então porque só ouvimos falar dela agora? Talvez porque os pesquisadores preferissem deixar a história em sigilo antes de ter idéia do que estava acontecendo. Mas agora um professor de psicofarmacologia sexual da Universidade de Utrech, na Holanda, Marcel Waldinger, publicou dados no Diário de Medicina Sexual que sugere uma terapia de hipossensibilização pode ser capaz de curar esse mal.

“Estes resultados são  um avanço muito importante na pesquisa da síndrome”, diz Waldinger “Os dados atuais contradizem a idéia que a síndrome poderia ser algo psicológico.”

Infelizmente, essa síndrome não é exclusiva apenas aos homens, as mulheres também podem ser alérgicas ao sêmen. Nas mulheres, porém, a doença já é conhecida como “Hipersensibilidade ao sêmen humano”.

Os sintomas também são um pouco diferentes, alguns minutos de exposição já podem causar vermelhidão, inchaço, urticária e até mesmo, dificuldade de respirar. Nas mulheres a cause não é o esperma em sim, mas sim as proteínas que ele contém.

A alergia pode ser desenvolvida aleatoriamente, como aconteceu com Letícia Ortega, uma mulher de 36 anos que desenvolveu a alergia somente com seu segundo marido. “O alergista disse que eu posso ter me tornado sensível,” disse, “Ou, eu já estava casada há tanto tempo que meu corpo já estava acostumado com o sêmen do meu ex-marido.”

A melhor maneira de evitar reações alérgicas é fazendo o uso de preservativos, mas alguns médicos dizem ter uma maneira melhor de resolver, o teste é feito através do isolamento das proteínas contidas no sêmen do parceiro e aplicado sobre a pele. Uma vez determinada à proteína que causa as reações alérgicas, uma quantidade é injetada em seu corpo, que irá aprender a combatê-la, como acontece com alergias à picada de abelhas.

Vegetarianos sentem mais prazer no sexo oral?


O site de relacionamento OkCupid com mais de 250mil usuários fez a seguinte pergunta “Vegetarianos sentem mais prazer no sexo oral?” e mostrou que sim, os vegetarianos sentem mais prazer em dar e receber sexo oral do que adeptos de outras dietas.

Apesar de ainda não ter nenhum estudo científico, a pergunta que fez parte de uma estratégia do portal mostrou que 90% dos homens que disseram ser vegetarianos dizem que sentem mais prazer com o sexo oral, contra 69% dos homens que possuem uma dieta mais carnívora.

Já entre às mulheres os resultados também foram significativos, 30% das mulheres que são vegetarianas preferem o sexo oral contra 15% das com outros tipos de dieta que preferem o sexo oral.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Pole Dance irrita muçulmanos


Lucy Misch uma instrutora de pole dance do Reino Unido certamente não esperava por essa. Ela foi convidada para ir até a Arábia Saudita ensinar a dança à esposa de um dos mais influentes homens do país. Qahtani, com certeza uma das poucas mulheres que trabalham no país, estava tão decidida a aprender que arranjou uma escolta de segurança para Lucy no aeroporto.

E como se não bastasse levar o Pole Dance ao Oriente Médio, elas ainda tiraram algumas fotos durante as aulas o que irritaram muitos mulçumanos do Reino Unido.

“Eu achei as fotos extremamente desrespeitosas para com as mulheres da Arábia que usam o hijab com dignidade.” Disse uma senhora sobre o ocorrido.

Mas Lucy não se incomodou com algumas das críticas que recebeu.

“Gostaria de deixar claro que o pole dance não tem suas raízes em um club de strip” Diz ela. “Tem sido durante séculos uma tradição na China e na Índia antes mesmo de Spearmint Rhino se apropriar disto. É de vital importância que as pessoas passem a ver que o Pole Dance é muito mais do que girar seminua em um poste.”

Qahtani confessa que está nessa mais pelo exercício. Embora, bom seria se ela estivesse usando o que aprendeu para seduzir seu marido. Afinal, ela deve ter alguns truques na manga, pois é a única esposa, algo também incomum na Arábia Saudita.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Primeiro filme erotico 3D estreia em Hong Kong


Os moradores de Hong Kong correram para os cinemas nesta quinta-feira para a estreia do primeiro filme erótico em três dimensões (3D), financiado por uma produtora local. "3D Sex and Zen: Extreme Ecstasy", rodado em cantonês, custou 30 milhões de dólares de Hong Kong (3,85 milhões de dólares americanos) e foi produzido por Stephen Shiu Jnr, presidente da One Dollar Production.

O filme é baseado em uma obra da literatura erótica chinesa do século XVII, "A carne como tapete de oração". Graças ao 3D, os espectadores, que usam óculos especiais, têm a impressão de que as atrizes estão a poucos centímetros de distância. O filme tem como estrelas as atrizes japonesas Yukkiko Suo e Saori Hara, assim como várias taiwanesas.

Muitos espectadores, incluindo várias mulheres, faziam fila antes das primeiras sessões. "Normalmente não vou ao cinema, mas este filme não podia perder", disse Justin Lai, diante de uma sala de cinema no bairro de Causeway Bay. "Quero ver o que produz o pornô 3D em uma grande tela", acrescentou.

O filme é um remake de "Sex and Zen", que estreou em 1991, até hoje o maior sucesso do cinema de Hong Kong para adultos.

O longa-metragem, que entra em cartaz na sexta-feira em Taiwan, provocou muito interesse em vários países asiáticos, no Japão e na Coreia do Sul, assim como na Europa e Estados Unidos, segundo o produtor.

Outros filmes eróticos em 3D devem ser filmados em breve. O diretor italiano Tinto Brass, grande nome do gênero, anunciou a produção de uma nova versão de "Calígula", seu grande sucesso de 1979.

O grupo americano Hustler prevê uma paródia pornô em 3D do filme de ficção científica "Avatar".

Malas prontas para a Alemanha

Após o sucesso da Asia Adult Expo em Macau na China, o calendário internacional de feiras eróticas nos trás mais duas importantes feiras a serem realizadas nas próximas semanas, a Venus e a eroFame, ambas realizadas na Alemanha.
A Venus Erotic Trade Fair já se tornou um evento tradicional no seguimento erótico mundial e está na sua 15ª edição. Conhecida por trazer sempre expositores de qualidade e renome como Joya, Zini, Nomi Tang, Digital Playground, Odeco, OhMiBod e Bijoux Indiscrets, a Venus será realizada entre os dias 29 de setembro e 2 de outubro em Berlim.
Já a eroFame após o sucesso de sua 1ª edição em Berlim no ano de 2010, chega com força total em sua 2ª edição agitando, desta vez, a cidade de Hannover. Diferentemente da Venus, essa será exclusiva para empresário do segmento erótico e também trará expositores de peso como California Exotics Novelties, Big Teaze Toys, Doc Johnson Enterprises, We-Vibe, Pipedream Products, Evolved Products e Nexus Range. A eroFame acontecerá nos dias 5, 6 e 7 de outubro.
Nós da EROTIC POINT estaremos presentes em Berlim e em Hannover e traremos muitas novidades, arguardem.

Saiba como agradá-la com uma bela massagem

Ela adora massagens e sexo, então não seria espetacular se você pudesse combinar os dois e criar uma noite inesquecível? Se você quiser incrementar sua relação ou está procurando uma maneira de impressionar, uma massagem sensual é seu bilhete premiado.
Apesar das mulheres serem bem receptivas à massagem, muitos homens não sabem como começar ou tem medo da rejeição ou da reação de sua parceira. Uma dica é começar utilizando uma massagem regular, algo bem sutil e observar a reação dela, assim você terá uma noção se o caminho está liberado.
Uma dica antes de apresentar massageadores e objetos diferentes é acostumar a parceira com uma massagem tradicional, suas mãos percorrendo o corpo suavemente e fazendo pressão nos lugares certos.
Mas existem algumas coisas que se deve tomar cuidado para que a experiência seja o mais prazerosa possível para ela. Muitos pecam com a higienização ou a temperatura das mãos. Unhas bem aparadas e uma temperatura agradável são fundamentais e caso faça uso de algum óleo, lembre-se sempre de não aplicar direto no corpo e sim em suas mãos e após espalhá-lo bem, comece a massagem com toques suaves.
Tente não se prender a tarefa tediosa de massagear cada centímetro do corpo, evite deixar esse momento tão cansativo, tente em alguns momentos colocar um pouco do peso do seu corpo ou encostar seu abdômen, surpriendendo ela com um outro tipo de toque, diferente de suas mãos.
Quando vocês sentirem que está na hora de inovar, fugir um pouco desse lugar comum, a dica é a introdução de massageadores. Hoje já existem vários tipos de massageadores corporais no mercado, com diferentes tipos de vibrações e pulsações que agregarão novas sensações, e alguns são para partes específicas do corpo como pés, costas e clitóris.
O uso de massageadores é extremamente fácil, pois eles dão a chance de oferecer cada dia uma sensação diferente à sua parceira, mas não se esqueça de que ele é apenas um acessório que irá complementar seu trabalho feito por suas mãos.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Entrevista com os criadores do We-Vibe

Bruce e Melody Murison passaram a maior parte da década anterior trabalhando secretamente na concepção do We-Vibe. Bruce, de 48 anos, usou sua experiência como ex-engenheiro da Nortel para projetar um massageador pessoal que pode ser usado durante a relação sexual, mas que não interfere no ato em si. Depois de inúmeros protótipos, alguns testados a exaustão, e a busca por um fabricante, o We-Vibe nasceu. Agora com o sucesso do We-Vibe na mão Bruce está trabalhando duro no desenvolvimento da próxima safra revolucionaria de brinquedos sexuais.

Para fabricar um brinquedo sexual, a tal ergonômica deve ser um grande desafio. Como você fez os testes do We-Vibe? Quais os ajustes que você teve que fazer ao longo do desenvolvimento do produto?
Nós passamos por 6 diferentes versões até chegar o We-Vibe. Em cada versão, analisamos o retorno dos usuários “experts” e este feedback foi utilizado para modificar o produto antes de fazer a próxima versão. Este processo levou cerca de cinco anos. Analisamos o produto por todos os ângulos possíveis, incluindo, rotações de velocidades altas e baixas, tempo de execução mínimo, a performance do silicone, tamanho das almofadas internas e externas, teste de anatomia, potencia dos motores, etc, etc.
Cada fator é um “trade off” dos outros. Por exemplo, se fizesse o We-Vibe mais potente, ele teria que ficar maior, necessitaria motores maiores, pois o tamanho da bateria aumenta muito, ele funcionaria menos tempo e precisaria de recarga.  We-Vibe é pequeno, mas poderoso na medida exata. Ele possui a melhor relação potência x peso dos vibradores de sua categoria. Grande parte dos testes girava em torno de fazer uma parte interna firme o suficiente para encaixar perfeitamente na mulher, mas flexível o bastante para se adaptar confortavelmente e poder ser usado em diferentes posições sexuais durante a relação.

Quais foram os aspectos mais desafiadores tecnologicamente na criação do We-Vibe?
Tivemos que desenvolver nosso próprio motor personalizado porque nenhum motor existente era pequeno o suficiente e poderoso o suficiente. Muita pesquisa também foi necessária no material flexível para a estrutura interna do produto. Tinha que ser flexível, mas voltar a sua forma original depois do uso e também ser suave para não machucar em caso de uso por tempo prolongado. Também optamos pela bateria NiMH , porque é livre de metais pesados. O silicone médico utilizado na matéria prima é por definição livre de látex e ftalatos, portanto, totalmente atóxico.

O que você tem a dizer para aqueles que afirmam que o We-Vibe tem um preço mais alto que os concorrentes em sua categoria?
Na verdade, cada We-Vibe lança mão de um molde inoxidável – este é um processo lento e caro e é por isso que temos que fabricar na China. Se fabricássemos nos Estados Unidos, o We-Vibe custaria mais de 200 dólares. O silicone de classe médica é cerca de 4 vezes mais caro do que o mais barato material disponível…E nós compramos o silicone da Europa, por isso temos certeza de que o We-Vibe é fabricado na China com o silicone especificado em seus manuais de produção, mantendo assim a qualidade exigida. Os motores e baterias também são caros, mas a bateria dura cerca de 500 cargas (várias vezes mais que outras baterias comuns) e os motores são testados para garantir uma vida longa, de pelo menos, 100 horas quando executado em 40 º C e em condições de umidade de 100%. O We-Vibe é projetado para durar muitos anos de satisfação. Estimando o uso semanal por meia hora diária, um We-Vibe pode durar cerca de quatro anos, alguns irão falhar mais cedo, mas muitos outros devem durar muito mais tempo. Tomamos propositadamente decisões na concepção do We-Vibe para torná-lo um produto de extrema qualidade. Em cinco anos pretendemos ter muitos produtos diferentes e queremos que o mundo recomende um We-Vibe para quem procura por produtos para durar um longo, longo tempo.
A tecnologia vem a ser cara, até que façamos milhões de produtos, a produção se torne mais eficiente e os preços caiam em conseqüência de uma maior produção. Também planejamos fazer alguns produtos novos que são muitos mais baratos do que o We-Vibe.

Há uma necessidade de produtos para casais (ou não casais) que se possa usar de forma independente para explorar a sua própria sexualidade, sem que o outro parceiro se sinta rejeitado ou inadequado. Você tem algum interesse em fazer produtos nesta linha?
Temos uma lista enorme de produtos que pensamos em fazer que sejam significativamente melhores do que o que existe atualmente. Então… SIM – pretendemos fazer uma família inteira de produtos para todos os fins, utilizados isoladamente ou em conjunto, produtos já pensados até o momento por outras empresas e também temos algumas coisas em mente que acreditamos que nem sequer alguém concebeu… Ainda.

Em sua jornada notável de dez anos para produzir uma obra-prima de excelência em brinquedo sexual, quais são seus segredos para manter o foco?
Você resolve uma coisa de cada vez. Um grande projeto será imenso, se você tentar fazer tudo de uma vez. A idéia para o We-Vibe foi concebida em 2001, começamos a prototipagem em 2002 e o projeto final não estava pronto até ao Verão de 2007.  Paciência e persistência é meu lema.
Meu laboratório consumiu a garagem, o porão e muitas vezes a cozinha… Mas Melody é uma pessoa paciente. O laboratório foi um pouco como se vê nos filmes de James Bond, com bombas de vácuo, mangueiras e coisas penduradas por caneletas, além dos materiais eletrônicos espalhados.
Uma vez concluído o produto, iniciamos a operação para distribuir o We-Vibe em todo o mundo. Preciso agora de um bom tempo de férias, com certeza. Melody e eu caímos na estrada durante um ano para apresentações do produto em todo o mundo e agora estamos ansiosos por umas férias.

Qual é o seu conselho para alguém que possa estar lendo e pensando em inventar um produto erótico?
Obter aconselhamento empresarial e ouvir os especialistas do mercado erótico. O inventor precisa se concentrar no produto e deve começá-lo para que possa mostrar a uma pessoa de negócios. Se não pode convencer uma pessoa de negócios que sua idéia é realmente a melhor coisa, é bom pensar duas vezes antes de investir mais tempo e dinheiro. Eu pensei que teria o We-Vibe em produção no início de 2004! Levou muito mais tempo do que o esperado (quatro anos). Antes de ir mostrar para qualquer um – Faça a patente da sua criação. O mundo está cheio de pessoas muito “agradáveis” que irão roubar a sua idéia, por isto que idéias necessitam de proteção legal.

Que feedback tem recebido por parte de casais que usaram o We-Vibe para melhorar seus relacionamentos? Como é que esse tipo de feedback positivo pode ajudá-lo a projetar seu próximo produto?
Temos muitos relatos incríveis e as mulheres e os casais têm enviado mensagens especiais para nos agradecer. Nossa citação favorita é tipo: “Muito obrigado pelo que você fez para as mulheres”.
Somos incentivados a criar brinquedos mais do que capacitar as mulheres a assumir o controle de seu prazer e sua vida sexual. As mulheres certamente apreciam a estimulação do clitóris e do ponto g, enquanto desfrutam da intimidade de fazer amor e também estão gostando de We-vibe como um brinquedo solo. Outros acham que é um exercitador de Kegel grande porque as vibrações irão ajudá-lo a localizar os músculos e os movimentos flexíveis ajudam também a localizar o Ponto G.
Nós acreditamos que o mundo está se transformando e a sociedade dando abertura para a utilização de produtos eróticos como reforço das relações sexuais.
Os homens apreciam esta parceria com o We-Vibe e nesta nova experimentação podem tornar-se mais abertos ao uso de produtos para ajudar a satisfazer os seus parceiros de forma mais criativa, ampliando assim seu prazer.

Depois que o We-Vibe decolou, como você decidiu que era hora de apostar definitivamente nesta nova carreira?
Eu sempre fui um inventor. Tenho pelo menos uma dúzia de patentes, mas nunca trouxe um produto no mercado antes do We-Vibe. Mudança é sempre um processo difícil… Mas eu sempre fui corajoso o suficiente para ir adiante e tentar algo novo. Eu fui despedido da Nortel em 2003 e tomei isso como uma oportunidade de prosseguir em tempo integral com o We-Vibe. Vivemos sem renda durante anos e a poupança de nossa vida toda foi consumida. Tivemos investimento de muitos amigos e familiares – que foram motivados a fazer do We-Vibe um sucesso. Nossos vizinhos costumavam brincar que nós podíamos viver no porão, se as coisas não dessem certo, pois vivíamos o tempo todo lá. Por isso somos muito gratos porque hoje o negócio é auto-suficiente e estamos gerando dinheiro suficiente para iniciar novos projetos.

Qual era sua experiência com o mercado erótico antes de inventar o We-Vibe?
Melody e eu não tínhamos nenhuma experiência real ou conhecimento detalhado sobre produtos eróticos antes de começarmos. Talvez a razão por que foi bem sucedido foi a de que não viemos desta indústria e éramos muito ingênuos para supor que um produto não poderia ficar no meio do casal durante a relação, como era pensamento corrente do setor. E tivemos uma idéia muito inocente de um vibrador que se encaixasse entre um casal enquanto faziam amor.

Como você imagina o futuro dos produtos eróticos?
A Phillips fazia TV e agora fez um vibrador… Isto deve significar algo. Os produtos eróticos continuarão a evoluir no universo da alta tecnologia e com certeza eu pretendo estar nesta frente, inventando produtos superiores com o conceito “nova forma e nova função” e estou ansioso para trazer toda uma família de produtos “inovadores” para o mundo. Este é o meu pequeno esforço em prol da paz mundial. Também vamos nos manter fiel ao nosso preceito de não fazer nada que eu não gostaria de ter ou um ente querido de usar. A eletrônica no produto será a primeira coisa a avançar rapidamente, porque esta cada vez mais fácil para as grandes empresas de protótipos produzirem em massa chips de computadores sofisticados especificamente concebidos para brinquedos sexuais. A sociedade americana percorreu um longo caminho nos últimos 15 anos. O consumo de produtos eróticos foi de 15% para mais de 50% na população do país, portanto vemos sempre boas perspectivas de expansão.

We-vibe é um dos vibradores para os casais mais procurados atualmente . Você tem alguma idéia do que seria tão popular nele?
Sabíamos por nossas pesquisas e grupos de feedback que o We-Vibe seria um grande produto, mas não sabíamos se ele iria realmente ser vendável. Estamos muito felizes que o We-Vibe esteja sendo bem recebido pelo público e críticos.
No entanto, não estamos realmente certos se We-Vibe é o vibrador mais vendido em comparação com outros de ponta,  porque não há muitos dados e os números reais de vendas são protegidos pelos lojistas. Estamos vendendo mais de 10.000 por mês em todo o mundo. Esperamos que as vendas na Europa e os Estados Unidos continuem a subir, e quem sabe como já ouvimos dizer que alguns vibradores já venderam mais de um milhão de unidades pelo mundo, alcancemos esta marca, mas sabemos que temos um caminho longo a percorrer!

Você já teve que lidar com outros fabricantes que tentaram copiar o projeto We-Vibe?
Ainda não, mas nossos advogados estão esperando. Temos patente na maioria dos países industrializados em todo o mundo, o que deve ajudar.  O We-Vibe não é feito no mesmo processo fabril de outros vibradores, e isto deve retardar a cópia também. Para falsificar o We-Vibe teriam que gastar muito dinheiro para desenvolver as ferramentas e processos de fabricação e ao mesmo tempo, tem o risco destes produtos falsificados serem apreendidos se nós os encontrássemos, então esperamos que a nossa patente continue sendo respeitada.

O que o motivou a criar o We-Vibe e entrar para a indústria de produtos eróticos?
Pagar nossas contas e… Uma saída para o meu lado criativo. A indústria de alta tecnologia tem sido dizimada em Ottawa, e a única solução foi criar o nosso próprio emprego.

Você chegou ao mercado quando o sucesso da maioria dos produtos era dividido entre as grandes empresas como Doc Johnson e Calexotics. No futuro, quem você acha que será dominante neste mercado: pequenos fabricantes com produtos de qualidade ou a produção de grandes empresas em massa?
Eu acho que o mundo está tendendo para grandes empresas e isso vai provavelmente continuar na indústria de brinquedos sexuais. O processo inventivo é mais bem realizado em equipes de incubação menor e empresas pequenas são frequentemente mais capazes de avançar com novos dispositivos, mas elas não permanecem assim por muito tempo, pois tendem a crescer rapidamente ou, serem compradas por grandes empresas. Estou tranquilo com ambas as opções exceto com o fracasso. Mantemos nossas finanças enxutas e temos uma poupança, no caso de precisarmos de dinheiro para defender nossa propriedade intelectual. Planejamos desenvolver uma família de novos produtos e, assim, crescer para uma empresa de médio porte ao longo dos próximos anos. Temos os melhores cérebros financeiros e de negócios contratados da engenharia mundial para ajudar a transformar minhas idéias criativas em dispositivos produzidos em massa, pois esperamos fazer um monte de pessoas muito felizes e satisfeitas. Eu gosto quando ouço falar que as pessoas caíram no sono com seus We-Vibe em funcionamento… Após um desfrute imenso, esta é a nossa primeira diretriz… Povo contente e feliz.

Houve um
Bruce e Melody Murison passaram a maior parte da década anterior trabalhando secretamente na concepção do We-Vibe. Bruce, de 48 anos, usou sua experiência como ex-engenheiro da Nortel para projetar um massageador pessoal que pode ser usado durante a relação sexual, mas que não interfere no ato em si. Depois de inúmeros protótipos, alguns testados a exaustão, e a busca por um fabricante, o We-Vibe nasceu. Agora com o sucesso do We-Vibe na mão Bruce está trabalhando duro no desenvolvimento da próxima safra revolucionaria de brinquedos sexuais.

Para fabricar um brinquedo sexual, a tal ergonômica deve ser um grande desafio. Como você fez os testes do We-Vibe? Quais os ajustes que você teve que fazer ao longo do desenvolvimento do produto?
Nós passamos por 6 diferentes versões até chegar o We-Vibe. Em cada versão, analisamos o retorno dos usuários “experts” e este feedback foi utilizado para modificar o produto antes de fazer a próxima versão. Este processo levou cerca de cinco anos. Analisamos o produto por todos os ângulos possíveis, incluindo, rotações de velocidades altas e baixas, tempo de execução mínimo, a performance do silicone, tamanho das almofadas internas e externas, teste de anatomia, potencia dos motores, etc, etc.
Cada fator é um “trade off” dos outros. Por exemplo, se fizesse o We-Vibe mais potente, ele teria que ficar maior, necessitaria motores maiores, pois o tamanho da bateria aumenta muito, ele funcionaria menos tempo e precisaria de recarga.  We-Vibe é pequeno, mas poderoso na medida exata. Ele possui a melhor relação potência x peso dos vibradores de sua categoria. Grande parte dos testes girava em torno de fazer uma parte interna firme o suficiente para encaixar perfeitamente na mulher, mas flexível o bastante para se adaptar confortavelmente e poder ser usado em diferentes posições sexuais durante a relação.

Quais foram os aspectos mais desafiadores tecnologicamente na criação do We-Vibe?
Tivemos que desenvolver nosso próprio motor personalizado porque nenhum motor existente era pequeno o suficiente e poderoso o suficiente. Muita pesquisa também foi necessária no material flexível para a estrutura interna do produto. Tinha que ser flexível, mas voltar a sua forma original depois do uso e também ser suave para não machucar em caso de uso por tempo prolongado. Também optamos pela bateria NiMH , porque é livre de metais pesados. O silicone médico utilizado na matéria prima é por definição livre de látex e ftalatos, portanto, totalmente atóxico.

O que você tem a dizer para aqueles que afirmam que o We-Vibe tem um preço mais alto que os concorrentes em sua categoria?
Na verdade, cada We-Vibe lança mão de um molde inoxidável – este é um processo lento e caro e é por isso que temos que fabricar na China. Se fabricássemos nos Estados Unidos, o We-Vibe custaria mais de 200 dólares. O silicone de classe médica é cerca de 4 vezes mais caro do que o mais barato material disponível…E nós compramos o silicone da Europa, por isso temos certeza de que o We-Vibe é fabricado na China com o silicone especificado em seus manuais de produção, mantendo assim a qualidade exigida. Os motores e baterias também são caros, mas a bateria dura cerca de 500 cargas (várias vezes mais que outras baterias comuns) e os motores são testados para garantir uma vida longa, de pelo menos, 100 horas quando executado em 40 º C e em condições de umidade de 100%. O We-Vibe é projetado para durar muitos anos de satisfação. Estimando o uso semanal por meia hora diária, um We-Vibe pode durar cerca de quatro anos, alguns irão falhar mais cedo, mas muitos outros devem durar muito mais tempo. Tomamos propositadamente decisões na concepção do We-Vibe para torná-lo um produto de extrema qualidade. Em cinco anos pretendemos ter muitos produtos diferentes e queremos que o mundo recomende um We-Vibe para quem procura por produtos para durar um longo, longo tempo.
A tecnologia vem a ser cara, até que façamos milhões de produtos, a produção se torne mais eficiente e os preços caiam em conseqüência de uma maior produção. Também planejamos fazer alguns produtos novos que são muitos mais baratos do que o We-Vibe.

Há uma necessidade de produtos para casais (ou não casais) que se possa usar de forma independente para explorar a sua própria sexualidade, sem que o outro parceiro se sinta rejeitado ou inadequado. Você tem algum interesse em fazer produtos nesta linha?
Temos uma lista enorme de produtos que pensamos em fazer que sejam significativamente melhores do que o que existe atualmente. Então… SIM – pretendemos fazer uma família inteira de produtos para todos os fins, utilizados isoladamente ou em conjunto, produtos já pensados até o momento por outras empresas e também temos algumas coisas em mente que acreditamos que nem sequer alguém concebeu… Ainda.

Em sua jornada notável de dez anos para produzir uma obra-prima de excelência em brinquedo sexual, quais são seus segredos para manter o foco?
Você resolve uma coisa de cada vez. Um grande projeto será imenso, se você tentar fazer tudo de uma vez. A idéia para o We-Vibe foi concebida em 2001, começamos a prototipagem em 2002 e o projeto final não estava pronto até ao Verão de 2007.  Paciência e persistência é meu lema.
Meu laboratório consumiu a garagem, o porão e muitas vezes a cozinha… Mas Melody é uma pessoa paciente. O laboratório foi um pouco como se vê nos filmes de James Bond, com bombas de vácuo, mangueiras e coisas penduradas por caneletas, além dos materiais eletrônicos espalhados.
Uma vez concluído o produto, iniciamos a operação para distribuir o We-Vibe em todo o mundo. Preciso agora de um bom tempo de férias, com certeza. Melody e eu caímos na estrada durante um ano para apresentações do produto em todo o mundo e agora estamos ansiosos por umas férias.

Qual é o seu conselho para alguém que possa estar lendo e pensando em inventar um produto erótico?
Obter aconselhamento empresarial e ouvir os especialistas do mercado erótico. O inventor precisa se concentrar no produto e deve começá-lo para que possa mostrar a uma pessoa de negócios. Se não pode convencer uma pessoa de negócios que sua idéia é realmente a melhor coisa, é bom pensar duas vezes antes de investir mais tempo e dinheiro. Eu pensei que teria o We-Vibe em produção no início de 2004! Levou muito mais tempo do que o esperado (quatro anos). Antes de ir mostrar para qualquer um – Faça a patente da sua criação. O mundo está cheio de pessoas muito “agradáveis” que irão roubar a sua idéia, por isto que idéias necessitam de proteção legal.

Que feedback tem recebido por parte de casais que usaram o We-Vibe para melhorar seus relacionamentos? Como é que esse tipo de feedback positivo pode ajudá-lo a projetar seu próximo produto?
Temos muitos relatos incríveis e as mulheres e os casais têm enviado mensagens especiais para nos agradecer. Nossa citação favorita é tipo: “Muito obrigado pelo que você fez para as mulheres”.
Somos incentivados a criar brinquedos mais do que capacitar as mulheres a assumir o controle de seu prazer e sua vida sexual. As mulheres certamente apreciam a estimulação do clitóris e do ponto g, enquanto desfrutam da intimidade de fazer amor e também estão gostando de We-vibe como um brinquedo solo. Outros acham que é um exercitador de Kegel grande porque as vibrações irão ajudá-lo a localizar os músculos e os movimentos flexíveis ajudam também a localizar o Ponto G.
Nós acreditamos que o mundo está se transformando e a sociedade dando abertura para a utilização de produtos eróticos como reforço das relações sexuais.
Os homens apreciam esta parceria com o We-Vibe e nesta nova experimentação podem tornar-se mais abertos ao uso de produtos para ajudar a satisfazer os seus parceiros de forma mais criativa, ampliando assim seu prazer.

Depois que o We-Vibe decolou, como você decidiu que era hora de apostar definitivamente nesta nova carreira?
Eu sempre fui um inventor. Tenho pelo menos uma dúzia de patentes, mas nunca trouxe um produto no mercado antes do We-Vibe. Mudança é sempre um processo difícil… Mas eu sempre fui corajoso o suficiente para ir adiante e tentar algo novo. Eu fui despedido da Nortel em 2003 e tomei isso como uma oportunidade de prosseguir em tempo integral com o We-Vibe. Vivemos sem renda durante anos e a poupança de nossa vida toda foi consumida. Tivemos investimento de muitos amigos e familiares – que foram motivados a fazer do We-Vibe um sucesso. Nossos vizinhos costumavam brincar que nós podíamos viver no porão, se as coisas não dessem certo, pois vivíamos o tempo todo lá. Por isso somos muito gratos porque hoje o negócio é auto-suficiente e estamos gerando dinheiro suficiente para iniciar novos projetos.

Qual era sua experiência com o mercado erótico antes de inventar o We-Vibe?
Melody e eu não tínhamos nenhuma experiência real ou conhecimento detalhado sobre produtos eróticos antes de começarmos. Talvez a razão por que foi bem sucedido foi a de que não viemos desta indústria e éramos muito ingênuos para supor que um produto não poderia ficar no meio do casal durante a relação, como era pensamento corrente do setor. E tivemos uma idéia muito inocente de um vibrador que se encaixasse entre um casal enquanto faziam amor.

Como você imagina o futuro dos produtos eróticos?
A Phillips fazia TV e agora fez um vibrador… Isto deve significar algo. Os produtos eróticos continuarão a evoluir no universo da alta tecnologia e com certeza eu pretendo estar nesta frente, inventando produtos superiores com o conceito “nova forma e nova função” e estou ansioso para trazer toda uma família de produtos “inovadores” para o mundo. Este é o meu pequeno esforço em prol da paz mundial. Também vamos nos manter fiel ao nosso preceito de não fazer nada que eu não gostaria de ter ou um ente querido de usar. A eletrônica no produto será a primeira coisa a avançar rapidamente, porque esta cada vez mais fácil para as grandes empresas de protótipos produzirem em massa chips de computadores sofisticados especificamente concebidos para brinquedos sexuais. A sociedade americana percorreu um longo caminho nos últimos 15 anos. O consumo de produtos eróticos foi de 15% para mais de 50% na população do país, portanto vemos sempre boas perspectivas de expansão.

We-vibe é um dos vibradores para os casais mais procurados atualmente . Você tem alguma idéia do que seria tão popular nele?
Sabíamos por nossas pesquisas e grupos de feedback que o We-Vibe seria um grande produto, mas não sabíamos se ele iria realmente ser vendável. Estamos muito felizes que o We-Vibe esteja sendo bem recebido pelo público e críticos.
No entanto, não estamos realmente certos se We-Vibe é o vibrador mais vendido em comparação com outros de ponta,  porque não há muitos dados e os números reais de vendas são protegidos pelos lojistas. Estamos vendendo mais de 10.000 por mês em todo o mundo. Esperamos que as vendas na Europa e os Estados Unidos continuem a subir, e quem sabe como já ouvimos dizer que alguns vibradores já venderam mais de um milhão de unidades pelo mundo, alcancemos esta marca, mas sabemos que temos um caminho longo a percorrer!

Você já teve que lidar com outros fabricantes que tentaram copiar o projeto We-Vibe?
Ainda não, mas nossos advogados estão esperando. Temos patente na maioria dos países industrializados em todo o mundo, o que deve ajudar.  O We-Vibe não é feito no mesmo processo fabril de outros vibradores, e isto deve retardar a cópia também. Para falsificar o We-Vibe teriam que gastar muito dinheiro para desenvolver as ferramentas e processos de fabricação e ao mesmo tempo, tem o risco destes produtos falsificados serem apreendidos se nós os encontrássemos, então esperamos que a nossa patente continue sendo respeitada.

O que o motivou a criar o We-Vibe e entrar para a indústria de produtos eróticos?
Pagar nossas contas e… Uma saída para o meu lado criativo. A indústria de alta tecnologia tem sido dizimada em Ottawa, e a única solução foi criar o nosso próprio emprego.

Você chegou ao mercado quando o sucesso da maioria dos produtos era dividido entre as grandes empresas como Doc Johnson e Calexotics. No futuro, quem você acha que será dominante neste mercado: pequenos fabricantes com produtos de qualidade ou a produção de grandes empresas em massa?
Eu acho que o mundo está tendendo para grandes empresas e isso vai provavelmente continuar na indústria de brinquedos sexuais. O processo inventivo é mais bem realizado em equipes de incubação menor e empresas pequenas são frequentemente mais capazes de avançar com novos dispositivos, mas elas não permanecem assim por muito tempo, pois tendem a crescer rapidamente ou, serem compradas por grandes empresas. Estou tranquilo com ambas as opções exceto com o fracasso. Mantemos nossas finanças enxutas e temos uma poupança, no caso de precisarmos de dinheiro para defender nossa propriedade intelectual. Planejamos desenvolver uma família de novos produtos e, assim, crescer para uma empresa de médio porte ao longo dos próximos anos. Temos os melhores cérebros financeiros e de negócios contratados da engenharia mundial para ajudar a transformar minhas idéias criativas em dispositivos produzidos em massa, pois esperamos fazer um monte de pessoas muito felizes e satisfeitas. Eu gosto quando ouço falar que as pessoas caíram no sono com seus We-Vibe em funcionamento… Após um desfrute imenso, esta é a nossa primeira diretriz… Povo contente e feliz.

Houve uma grande festa quando We-Vibe foi eleito “Produto Top do Ano” pelos telespectadores do programa da Sue Johanson?
Levantamos uma taça de vinho, mas era uma época de muita ocupação e não tivemos tempo para aproveitar a festa. A primeira vez que realmente refletimos sobre o sucesso foi quando o We-Vibe ganhou como “Produto Mais Inovador” na Alemanha no maior evento mundial do gênero. Subimos ao palco para receber o prêmio, sob as luzes, com milhares nos olhando, eu fiz um discurso de 30 segundos e tirei algumas fotos. Nós nos entreolhamos e respiramos fundo. Trabalhamos tão duros por tanto tempo… E, finalmente, levou alguns minutos para refletir com a constatação de que realmente tínhamos conseguido trazer um produto verdadeiramente único para o mercado  erótico e o mundo parecia realmente reconhecer o We-Vibe. E voltamos direto ao trabalho no dia seguinte.

O que sua família acha de sua nova carreira? Estão orgulhosos do We-vibe?
Estamos muito aliviados e felizes em dizer “sim”, os nossos amigos e familiares estão orgulhosos do We-Vibe e estão muitos aliviados em saber que as coisas estão indo bem, porque eles investiram anos atrás, quando o We-Vibe era pouco mais que um brilho em meus olhos. As crianças, basicamente, não sabem dele, mas os nossos amigos sempre querem saber onde estamos, e estamos ansiosos para saber as últimas vendas nos mercados da Europa e outros lugares exóticos pelo mundo. Nossos amigos e familiares estão felizes que o negócio não tenha fracassado, porque apesar de conviver bem com todos eles, não gostariam que vivêssemos em seus porões.
a grande festa quando We-Vibe foi eleito “Produto Top do Ano” pelos telespectadores do programa da Sue Johanson?
Levantamos uma taça de vinho, mas era uma época de muita ocupação e não tivemos tempo para aproveitar a festa. A primeira vez que realmente refletimos sobre o sucesso foi quando o We-Vibe ganhou como “Produto Mais Inovador” na Alemanha no maior evento mundial do gênero. Subimos ao palco para receber o prêmio, sob as luzes, com milhares nos olhando, eu fiz um discurso de 30 segundos e tirei algumas fotos. Nós nos entreolhamos e respiramos fundo. Trabalhamos tão duros por tanto tempo… E, finalmente, levou alguns minutos para refletir com a constatação de que realmente tínhamos conseguido trazer um produto verdadeiramente único para o mercado  erótico e o mundo parecia realmente reconhecer o We-Vibe. E voltamos direto ao trabalho no dia seguinte.

O que sua família acha de sua nova carreira? Estão orgulhosos do We-vibe?
Estamos muito aliviados e felizes em dizer “sim”, os nossos amigos e familiares estão orgulhosos do We-Vibe e estão muitos aliviados em saber que as coisas estão indo bem, porque eles investiram anos atrás, quando o We-Vibe era pouco mais que um brilho em meus olhos. As crianças, basicamente, não sabem dele, mas os nossos amigos sempre querem saber onde estamos, e estamos ansiosos para saber as últimas vendas nos mercados da Europa e outros lugares exóticos pelo mundo. Nossos amigos e familiares estão felizes que o negócio não tenha fracassado, porque apesar de conviver bem com todos eles, não gostariam que vivêssemos em seus porões.

Um passeio pela historia do decanter

O vinho é uma das bebidas mais antigas e apreciadas da humanidade, e ao longo dos séculos ele foi armazenado e servido em diversos tipos de recipientes como, porcelana, barro, chifres de animais, crânios e muitos outros. O vinho por si é uma bebida marcante, com muitos sabores e nuances convidativas, por isso se leva a crer que o desenvolvimento de suas taças e seus recipientes a materiais mais nobres como o vidro e sua forma mais refinada, o cristal, foi algo natural.
No início o vinho era utilizado mais pelo efeito de embriaguez que causava do que pelo seu paladar ou como acompanhamento gastronômico. Por isso sua estocagem nem sempre foi adequada.
Após a queda do Império Romano, o vidro se perdeu na história e retornou durante a Renascença como símbolo de status, pois era caro e para evitar sua disseminação seus segredos além guardados a sete chaves, as peças eram frágeis e de acesso restrito.
Sempre considerado o melhor material para estocagem, pois além de moldável, o que permitia a exploração da arte, ele é transparente, inodoro e não altera o paladar e nem as propriedades da bebida.
Ao final da Revolução industrial, o vidro começou a ser produzido em larga escala e em peças mais resistentes pelos ingleses, mas ainda, não superavam a habilidade artística que os venezianos tinham com o vidro.
O tempo se passou e foi durante o século XX o marco para a verdadeira revolução de garrafas e taças de vinho. Durante a década de 50 o vidraceiro austríaco Claus Reidel através de algumas experiências comprovou que o copo pode mudar a degustação do vinho. Ele percebeu que fatores como o material e o tamanho das taças influenciam diretamente na percepção da qualidade do produto.
Para os apreciadores de vinho um bom recipiente, tanto para armazenar como para servir, é essencial, pois são eles que fazem a ligação entre a bebida e seu apreciador.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Mais que prazer, saúde: Massageador de próstata



Por uma questão cultural, grande parte dos homens tem certo receio quando o assunto é estimulação da próstata, receio de que este ato “tire” parte de sua masculinidade. A estimulação do Ponto G masculino não está ligada à orientação sexual, e sim com saúde, prazer e até o conhecimento do próprio corpo.
A massagem de próstata tem muitos benefícios à saúde do homem por prevenir algumas doenças como o HBP (Hiperplasia Benigna da Próstata), que é a compressão da uretra causada pelo aumento natural da próstata e ataca os homens com cerca de 50 anos; a Prostatite, um tipo de infecção ou irritação desta glândula que pode ter causas bacterianas; e o Câncer de Próstata.
Olhando mais para o lado do prazer, essa prática pode ser muito bem-vinda também, afinal não existem quaisquer tipos de relação com orientação sexual, pois todos os homens sentem prazer na próstata, é perfeitamente natural. Uma boa estimulação pode provocar sensações jamais antes imaginadas ou sentidas, levando-o ao orgasmo masculino.
Apesar de tudo, esta prática exige alguns cuidados, pois a próstata é uma glândula delicada e pode ser facilmente ferida por isso é essencial certo cuidado tanto na auto-massagem quanto ao massagear seu parceiro, dependendo da gravidade do ferimento o impacto pode afetar inclusive os testículos. Uma maneira de reduzir os riscos de lesões é a auto-massagem, pois você tem total controle do toque.

Quando você executar a auto-estimulação da próstata você pode precisar de algum tipo de massageador, é quase impossível que você consiga atingir plenamente sua próstata sozinho.




A estimulação prostática não é muito complicada, é necessária uma higienização apropriada e muita lubrificação, pois diferentemente da vagina, o ânus não possui uma lubrificação natural. Também é preciso de um pouco de sensibilidade de ambas as parte para que tudo dê certo e seja prazeroso para ambos.

We Vibe 3, compartilhe essa sensação!

Este ano, a eroFame de Hannover trará alguns lançamentos que todos estamos ansiosos para ver, mas um dos mais aguardados é com certeza o We Vibe 3. A marca, conhecida por sua inovação e qualidade, optou por manter o design e adicionar algumas melhorias bem consideráveis nessa nova versão.

Uma delas é que agora esta nova versão será mais potente que a anterior, suas vibrações pulsações serão muito mais intensas. Seu modo manual continua o mesmo, mas ele terá um controle remoto sem fio, o que irá aumentar muito suas possibilidades na hora de usá-lo.

Ele possui uma base para carregá-lo que se transforma em um estojo, permitindo que você o leve para onde for com total discrição possibilitando tê-lo sempre à mão e o melhor, à toda potência.

Visando sua preocupação com o meio ambiente, o We Vibe 3 possui uma embalagem totalmente reciclável e taxas neutras de emissão de carbono.

Um produto que não decepciona em termos de qualidade e luxo, conheça o novo produto da linha We Vibe que certamente irá te fazer perder o fôlego.



terça-feira, 20 de setembro de 2011

Anal Hook, uma novidade exclusiva na Erotic Point

O Gancho Anal é um ótimo brinquedo que promete tornar-se o queridinho dos amantes de bondagem. Ele pode ser meio assustador no começo, afinal seria o mesmo que imaginar um anzol como um brinquedo sexual, mas não precisa se preocupar, ele é basicamente um plug anal.

Este acessório tem aproximadamente um centímetro de espessura e é feito em aço inoxidável. Em sua extremidades há uma curva para ser inserida no ânus e o resto do gancho, enquanto em uso, deve encostar-se a suas costas. O grande diferencial deste gancho é sua dupla esfera penetrável em uma de suas extremidade, o que possibilita explorar diferentes sensações durante o uso; já em sua outra extremidade há uma argola para se amarrar uma corda.

Este não é um brinquedo para iniciantes, o recomendado é para os usuários mais experientes, que estão mais acostumados com técnicas de segurança de bondagem. Ao usar este produto pela primeira vez, o correto seria utilizar uma técnica com fácil mecanismo de escape, pois caso algo dê errado, basta colocar peso sobre a o gancho, e a corda se desprenderá.

Mesmo que um pouco de dor seja divertido, o uso de uma boa dose de lubrificante é essencial. Seu uso previne danos indesejados ao ânus e deixa tudo mais divertido.

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Waléria Albuquerque, diretora da Erotic Point é destaque no jornal The One


Criada em 1996 pela empresária Waléria Albuquerque, a Erotic Point é uma distribuidora de produtos para sexshop que se estabeleceu no mercado através de suas audaciosas investidas no mercado e a introdução do conceito de boutique de luxo.
“Quando começamos só existiam no mercado brasileiro produtos simples, com poucas opções, todos muito característicos, sem alta tecnologia, e eu queria disponibilizar produtos mais discretos, com mais qualidade”, declara Waléria Albuquerque, diretora da Erotic Point.  Sentindo necessidade de inovar com produtos mais modernos e sofisticados, Waléria Albuquerque foi atrás de lançamentos em feiras realizadas em Amsterdã e Londres e lá conheceu o fabuloso mundo das boutiques eróticas, sexshops muito luxuosas, com produtos de altíssima qualidade, produzidos com tecnologia de ponta e com acabamento digno de jóias.
Com uma nova proposta para apresentar os novos produtos eróticos aos clientes, a Erotic Point introduziu no mercado brasileiro o conceito de boutique erótica de luxo, trazendo para a luz do dia um cenário curioso e até então somente habitado pelos mais ousados: o universo das sexshops. A idéia era criar novos espaços com requinte e elegância, criar um ambiente agradável e mais feminino para que, quem quisesse conhecer melhor sobre as novas tendências, pudesse se aproximar sem receios.
Por conta de sua visão inovadora, a Erotic Point repercutiu em diversas mídias e veículos ao longo desses anos, Folha Online, Gloss, UOL, Revista Trip, Msn Mulher, Meio & Mensagem, Mix Brasil, Marie Claire entre outros importantes veículos que resultaram numa grande procura de empresários interessados em investir no setor.

Para se manter pioneira neste mercado que cresceu 17% e movimentou 1 bilhão de reais no último ano, investimentos são necessários e devem ser constantes, por isso a Erotic Point está presente nas maiores feiras, especializadas ou não no segmento.  Bons exemplos de feiras especializadas são a Erótika Fair que acontece em São Paulo e a Hot Fair no Rio de Janeiro. A Erotic Point esteve presente nas duas esse ano, apresentando novidades do universo dos sextoys, entre eles vibradores luxuosos, como da marca Lelo, uma linha de produtos de altíssimo padrão da qual a Erotic Point detém exclusividade de distribuição no Brasil, e outras marcas que certamente deixaram o universo underground das pequenas salas sexshops para estarem em lindíssimas vitrines em boutiques de luxo juntamente com lingeries e outras peças do vestuário feminino.
A decisão de trazer produtos diferenciados pela qualidade, acabamento e alta tecnologia em seu desenvolvimento, foram fatores essenciais para a entrada da Erotic Point na feira Salão Moda Brasil, uma feira que é referência para grandes marcas têxteis do país e que prova que tanto os empresários quanto os consumidores estão de olho na proposta de Waléria Albuquerque de conciliar a compra de outras peças intimas, como no caso dos lingeries com acessórios destinados ao prazer, mas dessa vez com elegância e requinte.
Por esse e outros motivos, agora vibradores, estimuladores, massageadores íntimos e uma infinidade de artigos eróticos são vistos não só como brinquedos para adultos, mas finalmente levados a sério por seus devidos valores e até mesmo como grandes auxiliares em tratamentos de ordem terapêutica.
O prazer, que é motivo de discussões calorosas e que foi por muito tempo tratado como tabu hoje mais do que nunca está relacionado à qualidade de vida. “É importante além de trazer esses produtos sofisticados para o Brasil, ensinar como utiliza-los! Hoje a informação é uma das grandes portas de entrada para esse mercado. Homens estão mais dispostos a falar sobre sextoys desenvolvidos especificamente para eles, pois esses produtos estão associados a tecnologia e ordem terapêutica. Ou seja, eles não se sentem mais coibidos ao uso e podem se entregar ao prazer”, explica Waléria Albuquerque, que enfatiza “Devemos também atentar as condições de uso desses produtos, a utilização de lubrificantes, e até mesmo do preservativo como forma de manutenção da higiene dos acessórios, além é claro evitar o compartilhamento dos mesmo”.

Créditos

Jornal The One by PAJA MIDIAS.
Jóias: Mess Jóias
Foto: Alex Wilckens
Criação: Paulo Fonseca
Sapatos: Loja Arte e Fantasias